O valor do plano de saúde para empresa e colaboradores

Benefício mais caro para as empresas e mais importante para os colaboradores, o plano de saúde pode se converter em valores mais complexos do que dinheiro. Em pesquisas sobre o tema, tanto no Brasil como em países que não possuem uma estrutura ampla de saúde pública, como é o caso dos EUA, o plano ou seguro de saúde é considerado o benefício mais essencial.

LEIA NA ÍNTEGRA

Inclusão no mercado de trabalho: ferramenta de empoderamento da mulher

A pandemia do coronavírus impactou a carreira das mulheres: segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o percentual de mulheres que estavam trabalhando ficou em 45,8% no terceiro trimestre de 2020. Esse foi o nível mais baixo desde 1990, quando a taxa ficou em 44,2%.

LEIA NA ÍNTEGRA

Engajamento da equipe: o super poder das empresas mais produtivas

Uma ferramenta de produtividade, que impacta diretamente na fidelização dos clientes, que traz resultados constantes e adaptáveis. Parece mágica mas não é. É engajamento da equipe. Ou seja, colaboradores que não acordam todos os dias e cumprem o trabalho só pelo salário no fim do mês ou pela comissão de seus afazeres, mas porque têm na própria rotina, valores que estão em consonância com a empresa.

LEIA NA ÍNTEGRA

Além do retorno produtivo: 3 benefícios de investir em treinamento para a equipe

Recursos humanos se tornou um termo tão banalizado e utilizado no nosso dia a dia corporativo que muitas vezes não se percebe o quão bem ele define todo mundo que dedica seu tempo, sua força de trabalho e seu conhecimento em prol dos objetivos de qualquer empresa. Assim como a melhor das matérias-primas ou o maquinário de ponta, as pessoas que fazem parte da organização são parte essencial do sucesso (ou do fracasso) de qualquer negócio.

LEIA NA ÍNTEGRA

Quais riscos as empresas correm ao abraçar bandeiras que não apoiam na prática?

A palavra "diversidade?" está cada vez mais presente no mundo corporativo. Porém, de acordo com o estudo Oldiversity, realizado pela empresa de consultoria Croma, as marcas ainda precisam trabalhar muito para convencer o público de que essa preocupação é real. De acordo com a pesquisa, entre os 1.814 entrevistados, 72% não acreditam na autenticidade das marcas quando falam sobre o tema. E 53% afirmaram não consumir produtos e serviços de marcas com ?comportamentos preconceituosos?.

LEIA NA ÍNTEGRA